Sim, ter um bom produto ou ser boa no que você faz não é suficiente para ter sucesso. Quando eu digo isso para minhas alunas e mentorandas percebo que elas ficam assustadas com essa verdade não tão fácil de digerir. 

Mas eu me sinto na obrigação de mostrar pra elas que muitas vezes um produto de qualidade inferior ao seu pode vender mais e fazer mais sucesso. Que uma novata que acabou de entrar no mercado pode conseguir faturar mais alto que você, mesmo tendo menos experiência e gabarito. 

Tá, eu sei que é um belo soco no estômago, daqueles que deixam a gente meio atordoada, mas eu tenho um conselho importante pra você:

Em vez de ficar lamentando e reclamando que só ser boa no que faz não é o bastante para o seu negócio, que tal tomar decisões que podem virar esse jogo? 

Como? Deixa que eu te explico!

1. CONTINUE SENDO BOA NO QUE FAZ

Antes de mais nada, quero esclarecer uma coisa importante. Quando eu digo que ter um bom produto ou ser boa no que faz não é suficiente para ter sucesso não significa, em hipótese nenhuma, que eu estou te encorajando a entregar algo medíocre para o seu cliente. Eu, inclusive, te recomendo fortemente a continuar estudando e buscando excelência em tudo o que você faz e vende. O grande desafio da vida empreendedora é justamente equilibrar tudo que é necessário para ter sucesso: bons produtos ou prestação de serviço e entrega eficiente + marketing para divulgar e vender. 

Então, siga buscando a oportunidade de oferencer a melhor experiência para o seu cliente em todas as etapas do processo de venda, incluindo pré e pós-venda. Lembre-se que isso vai fazer toda a diferença na hora de encantar e impactar as pessoas. Mas é importante que saiba que para mostrar todo esse diferencial, você precisar separar um tempo da sua rotina para investir em divulgação, marketing e comunicação digital. Senão, ninguém fica sabendo quão bom é o seu produto ou serviço. 

2. EMBALE SEU PRODUTO DE FORMA ATRAENTE

De que adianta ter um produto maravilhoso se ele vai embalado de forma desleixada e sem graça? Se coloque no lugar do seu cliente e pense se você gostaria de receber alguma coisa numa embagem toda amassada, com papel feio e sem nenhum cuidado para guardar. Tenho certeza que você, assim como eu, instintivamente rejeitaria o produto antes mesmo de abrir. Não daria a menor chance, né? 

Isso acontece porque a gente julga tudo pela aparência o tempo todo (sim, temos que admitir isso) e fomos condicionados a acreditar que “embalagem bonita e luxuosa = produto premium”. É o nosso cérebro recuperando referências mentais e associando esse conceito a tudo que vemos no dia a dia. Desde um bombom de chocolate até um anel de diamantes. 

Por isso, não esqueça de pensar na embalagem do seu produto, seja ele físico ou digital. Sim, um infoproduto também precisa ser embalado, assim como uma prestação de serviço. Imagine um ebook, um curso online ou uma proposta de orçamento sem o cuidado com a aparência, o design e a apresentação? Não vai causar o impacto que você quer e precisa para vender. E você não vai querer que todo o seu trabalho vá por água abaixo só porque você esqueceu desse detalhe importante, né? 

3. PARE DE RECLAMAR E FAÇA

Se eu te contar quantas vezes já ouvi mulheres dizendo ‘ah, o mercado tá cheio de gente fraca e que tá faturando alto, enquanto eu tô aqui na maior pindaíba’ você não acreditaria. Mas a verdade é que ficar reclamando não adianta absolutamente nada e ainda suga a sua energia. 

Ao invés de você ficar aí comparando o seu trabalho ou produto com o de outras pessoas, faça o seu e pronto. Quando eu comecei a fotografar profissionalmente, eu recebi muitas críticas de outros profissionais que não entendiam como eu, uma novata nesse mercado, conseguia cobrar a mesma coisa que outros fotógrafos renomados do Rio de Janeiro. Eles ficavam questionando: Como ela criou um curso online e conseguiu 50 alunos já na primeira turma? Como seus wokshops e consultorias eram super procurados e os deles não? 

Vou te contar agora alguns dos meus segredos e provar que não existe fórmula mágica. Preparada?

EU SABIA O VALOR DO MEU PRODUTO.

Eu investi muito dinheiro e tempo para adquirir conhecimento em fotografia de família. MUITA grana e MUITO tempo mesmo. Primeiro eu fiz cursos básicos, depois segui para workshops especializados em fotografia de família. E eu fui além. Quando todo mundo pensava “vou parar de estudar e começar a trabalhar para reaver meu investimento”, eu continuei investindo. Eu queria subir de nível, chegar no topo. Fiz consultorias individuais com profissionais tops do mercado no Rio de Janeiro, São Paulo e Nova York. Sim, eu fiz questão de aprender mais sobre fotografia de família com uma fotógrafa sensacional nos Estados Unidos. Com toda essa bagagem, eu sabia que não podia cobrar barato pelo meu serviço.

EU QUERIA SER PREMIUM.

Por incrível que pareça, quando você cobra mais caro, você atrai mais clientes. Sabe por que? Porque ao cobrar mais do que a média dos outros profissionais por seu produto ou serviço você está dizendo para o seu cliente que o seu trabalho é premium, é diferenciado. Claro que você precisa também entregar um produto ou serviço premium (por isso te falei para não esquecer da excelência), mas quando você acredita nisso e passa essa mensagem, sua audiência confia e compra ou te contrata. 

EU ESTUDEI PARA SER PREMIUM

Além de estudar os olhares, composições, ilumincação e edição de fotos das profissionais que eu mais admirava e que eram tops no meu mercado, eu também estudei como elas se comunicavam com a sua audiência e como elas se apresentavam nas mais diversas plataformas digitais. Eu queria saber como elas embalavam seus produtos e serviços e como era o atendimento com seus clientes. 

Com todo esse material de inspiração, eu fui constuindo a minha própria marca usando os pontos em comum que eu tinha com essas profissionais e que poderiam impactar os clientes que estavam dispostos a pagar mais por um ensaio fotográfico. Mais do que isso, eu acrescentei todo o conhecimento que eu adquiri sobre storytelling e marketing e passei a mostrar que eu tinha uma marca premium desde o início, o que me permitiu aumentar rápido o valor dos meus pacotes fotográficos. 

EU TINHA UM ATENDIMENTO AO CLIENTE DIFERENCIADO

Para ser premium, você precisa oferecer um atendimento ao clinte diferenciado, onde você se coloca à disposição sem parecer que está desesperada ou que topa tudo para manter o contrato. Minha estratégia era apresentar muito bem os meus pacotes e responder com muita rapidez os emails que chegavam com pedidos de orçamento. Por outro lado, eu não colocava prazos muito curtos de entrega das fotos ou parcelava o valor dos pacotes em váras vezes sem conhecer a pessoa que estava me contratando. 

Eu sabia exatamente quem eram os meus clientes fieis e quem estava comprando meus pacotes pela primeira vez. Isso me dava objetividade para oferecer opções de pagamentos diferenciadas. E isso significava que quem já tinha me contratado antes tinha mais vantagens, em um claro sinal de confiança mútua e um incentivo a mais para ele continuar sendo meu cliente em novas oportunidades. 

EU ANUNCIEI PARA AS PESSOAS CERTAS.

Ninguém consegue vender seu produto ou serviço pra todo mundo, certo? Então não tente conquistar todo mundo, mas sim as pessoas que VOCÊ quer que compre seu produto ou serviço. Essa mentalidade é fundamental!

Quando eu decidi ser premium eu sabia que precisava direcionar minha comunicação para as pessoas que tinham interesse pelos meus serviços e estavam dispostas a pagar o meu preço. Nem todo mundo quer pagar caro por uma sessão de fotos, por exemplo. Mas tem pessoas que valorizam esse serviço e investem alto para ter um produto ou prestação de serviço de qualidade. Ou seja, sempre tem quem não pague e sempre tem quem pague pelo que você está oferecendo. Você só precisa saber quem eles são e como se comunicar com eles. 

E não me venha com a desculpa da crise, porque tem muita gente aí faturando alto nos últimos anos, os piores da economia brasileira desde a década de 1990. E como elas conseguem isso? Primeiramente elas entenderam que existem clientes certos e que é preciso falar diretamente com eles. Elas também embalaram seus produtos e serviços de forma diferenciada e se posicionaram no mercado da maneira correta. 

ENQUANTO VOCÊ NÃO ENTENDER ISSO, VAI CONTINUAR RECLAMANDO QUE VENDE POUCO E QUE NÃO CONSEGUE CHEGAR NO PATAMAR QUE DESEJA. VAI CONTINUAR SENDO UMA EMPRESA MEDIANA E VENDO SEUS CONCORRENTES SE DESTACAR NO MERCADO. VOCÊ QUER ISSO?

No meu caso, isso fez toda diferença na estratégia de comunicação do meu negócio de fotografia e hoje faz MUITA diferença na minha empresa de comunicação digital e estratégia de conteúdo para mulheres empreendedoras. Tudo é pensado para a minha cliente ideal, desde a minha identidade visual, a minha mensagem até a forma como eu apresento meus produtos e como eu me comunico com elas. 

Quem não é minha cliente ideal não vai se identificar comigo e não vai comprar os meus produtos. E tá tudo bem ser assim! Eu trabalho todos os dias para me conectar com quem REALMENTE precisa do meu trabalho e VALORIZA DE VERDADE o que eu faço e como eu faço. E eu te recomendo fortemente a fazer isso também!